04/08/2020

Destaque de Projeto: Myanmar Recycles

O projeto ‘Myanmar Recycles’ foi recentemente selecionado como um dos oito Projetos-Piloto 3R que testarão o Standard de Plástico desenvolvido pela VERRA em nome da Iniciativa 3R. A proposta vencedora foi logo identificada pela imprensa local em Mianmar e destacada neste artigo publicado no The Myanmar Times.

Em Mianmar, assim como em muitos outros países em desenvolvimento, os governos têm recursos financeiros e técnicos limitados e, portanto, capacidade insuficiente para a efetiva recuperação e reciclagem de resíduos. Estas lacunas são freqüentemente preenchidas por catadores, pequenas empresas e cooperativas que se esforçam para obter lucros com a coleta e/ou reciclagem de resíduos. Essas entidades têm acesso limitado aos mercados financeiros. O apoio a elas é vital para melhorar a infra-estrutura local de gestão de resíduos e fazer a transição para um modelo de economia circular, diminuindo a pobreza e melhorando as condições de trabalho de milhões de pessoas.

O DESAFIO DOS RESÍDUOS DE FILME PLÁSTICO

A Myanmar Recicla também tem um desafio adicional. É um dos poucos projetos que coleta e recicla resíduos de filme plástico pós-consumo (sacos plásticos, envoltórios e embalagens leves), que é sem dúvida o plástico mais difícil de coletar, classificar e lavar. A reciclagem deste tipo de resíduo é particularmente desafiadora devido a seu valor muito baixo e a um complicado processo de coleta e triagem. A falta de equipamento especializado e infra-estrutura significa que a remoção de resíduos orgânicos do material é freqüentemente realizada manualmente. Além disso, em países como Mianmar, a falta de infra-estrutura de coleta e/ou reciclagem faz com que até mesmo o plástico PET popular seja largamente subvalorizado. Tudo isso significa que a coleta e a reciclagem se tornam cada vez mais não rentáveis, o que impulsiona a produção de plástico virgem. Este ciclo vicioso é a causa mais comum da dificuldade de sobrevivência de tantos projetos menores em países em desenvolvimento. O resultado é uma poluição plástica em franco crescimento que prejudica o meio ambiente e representa uma séria ameaça à saúde das comunidades locais.

Muito freqüentemente, estes projetos são a única fonte de renda para a população local. Myanmar Recycles trabalha com coletores de resíduos, que coletam manualmente o filme plástico no aterro sanitário. “Estamos trabalhando com eles para fornecer um filme de maior qualidade”. Muitas vezes, ainda há lixo dentro dos sacos ou os sacos são amarrados com fio PP, que nossa empresa não pode processar e, se combinados com PEBD e PEAD, pode baixar a qualidade. Estamos pagando mais aos catadores e organizando-os em equipes para separar o filme plástico antes que ele deixe o aterro sanitário” diz Mimi Wu, Co-fundadora & CEO.

Project Spotlight - Myanmar RecyclesProject Spotlight - Myanmar Recycles

A dura realidade é agravada pela falta de ajuda financeira, falta de acesso a potenciais investidores ou apoio técnico: “Também enfrentamos desafios como o acesso ao capital de financiadores formais como bancos, bem como a falta de especialização técnica dentro de Mianmar em torno da reciclagem e do uso de plástico reciclado”.

O Hub de Ação Circular foi criado para ajudar projetos como este a sonhar grande e atrair o capital necessário. O Mecanismo de Créditos Circulares (CCM) e seus pagamentos baseados no desempenho provavelmente aumentarão o valor do plástico residual, catalisando assim novas e ampliadas atividades de recuperação e reciclagem de resíduos e viabilizando novos projetos e investimentos, que anteriormente não podiam ser justificados financeiramente. O CCM pode impulsionar mais capital para as economias locais, atraindo mais investimentos dos produtores de embalagens (“packaging producers”) que precisam ter acesso a matérias-primas recicladas pós-consumo.

Myanmar Recycles foi um dos primeiros projetos pré-registados no Hub de Ação Circular. Apesar das probabilidades, Mimi, co-fundador Henry Cox e sua equipe conseguiram manter o projeto ativo e funcionando, dando emprego a centenas de pessoas. A MR empregou e treinou mais de 150 trabalhadores (47% das mulheres) em suas fábricas de reciclagem e contratou mais de 230 catadores, que muitas vezes não possuem cartões de registro nacionais, o que os proíbe de entrar na força de trabalho formal. A maioria vive perto da fábrica e não é qualificada. Eles recebem treinamento adequado (incluindo saúde e segurança), equipamentos de EPI e segurança social, onde aplicável. A gerência está planejando agora garantir verificações sanitárias gratuitas para todo seu pessoal através de uma parceria com a ONG Medical Action Myanmar.

Mimi e sua equipe têm planos de expansão ambiciosos para o projeto. Eles esperam levantar capital suficiente para comprar novos equipamentos e estabelecer várias novas redes de coleta de lixo para, em última análise, triplicar a quantidade de lixo plástico coletado.

A ECONOMIA CIRCULAR COMEÇA EM NÍVEL LOCAL

Projetos como Myanmar Recycles são a verdadeira espinha dorsal de uma economia circular local para plásticos e outros tipos de resíduos. Além do impacto ambiental óbvio e bem documentado, eles melhoram a subsistência das comunidades locais, proporcionando oportunidades para as mulheres que, de outra forma, muitas vezes teriam dificuldades para conseguir o seu sustento.

As verdadeiras mudanças transformacionais muitas vezes começam no nível da base. O apoio financeiro que o Hub de Ação Circular oferece não é de caridade, mas uma remuneração bem merecida pelo serviço ambiental que estes projetos prestam. Já aprendemos que a degradação do meio ambiente não tem fronteiras. Como o dano à biodiversidade em um lugar tem um efeito cascata, o mesmo acontece com os ganhos ambientais de projetos como o Myanmar Recycles. Isto beneficia a todos nós. Traduzido com www.DeepL.com/Translator (versão gratuita)

Project Spotlight - Myanmar RecyclesProject Spotlight - Myanmar Recycles

Cadastre-se na nossa newsletter

COPYRIGHT 2021 CIRCULAR ACTION HUB, ALL RIGHT RESERVED